Arquivo do mês: junho 2009

Na janela

É uma menina normal, daquelas que passam batidas pela maioria. Mas por mim não. Mal sabe que eu fico na janela todos os dias, esperando ela passar. Só pra ver qual é a peça de roupa cor de laranja que ela ia usar, sempre tem alguma coisa cor de laranja. Só pra ver o jeito como ela anda, meio dançando, mesmo sem música. Por que laranja, aquela cor que quase ninguém usa? Será que dança com a música da rua, com o barulho dos carros? Não… essa rua não faz tanto barulho assim. O que será que ela pensa? E por que sempre sorri? Ninguém sorri tanto assim, eu acho. Como será a voz dela? Amanhã, se ela passar (ela vai passar, ela vai passar), eu vou sair dessa janela. Vou abrir aquela porta e perguntar tudo isso. Mas e se ela se assustar? Aí não vou poder mais ficar na janela, olhando pra ela. Não… melhor ficar aqui. É, é melhor.

É um moço bonito, daqueles que toda mulher segue com os olhos. Mas eu não. Não tinha reparado nele, até o dia em que o vi na janela. Todos os dias, olhando pela janela. O que será que tanto procura? É alguém ou só inspiração? Essa rua não é muito inspiradora… deve ser alguém mesmo. Por que nunca sorri? Até as pessoas mais tristes sorriem às vezes. Será que é alto, baixo? Gosta das mesmas músicas que eu? Será que, como eu, tem músicas gravadas na memória e aperta o play quando anda por aí? Será que dança sozinho, que canta quando não tem ninguém ouvindo? Amanhã, quando eu passar, se ele estiver lá (ele vai estar, ele vai estar), eu vou tocar a campainha. Vou abrir aquela porta e perguntar tudo isso. Mas e se ele se assustar? Aí não vou mais poder passar por aqui, e disfarçar, olhando pra ele. Não… melhor passar reto. É, é melhor.

Anúncios

6 Comentários

Arquivado em Contos

Planos

Um dia eu vou:
– fazer um curso de gastronomia,
– ser editora numa revista,
– ter uma casa na praia,
– saber dirigir bem,
– aprender a tocar bateria,
– comprar uma gaita,
– ser paciente e bem humorada,
– ter um bar,
– parar de ter medo de escuro,
– falar menos “não” pras pessoas,
– não passar tanta vergonha nas festas,
– não brigar por bobagem,
– parar de tomar cerveja e ter uma barriga lisinha.

Pena que meus planos raramente dão certo. Espero que isso mude!

3 Comentários

Arquivado em Não-categoria